Geral

by os quais

/
  • Streaming + Download

    Includes unlimited streaming via the free Bandcamp app, plus high-quality download in MP3, FLAC and more.
    Purchasable with gift card

      €7 EUR  or more

     

1.
04:09
2.
06:27
3.
4.
02:13
5.
6.
03:29
7.
8.
02:38
9.
10.
02:36

about

Não sabia muito por onde começar a escrever sobre um disco que tanto diz respeito à música brasileira sendo ele registado em solo português. Recorri a dois interlocutores, incontornáveis, que entenderiam o que estou a dizer e mesmo entenderiam ainda mais o disco em questão. São eles Caetano Veloso – cuja leitura de suas resenhas sobre discos dos seus parceiros (que por sua vez são também parceiros do disco que estamos a falar) acendeu o lume para que este texto fosse me soprado aos ouvidos, naturalmente, como qualquer boa brisa tropical – e Eduardo Lourenço – que, como quase nenhum português, percebe claramente o que de fato ainda conecta o Brasil ao Portugal. Os Quais e seu disco Geral, entendem e são falantes nativos da língua destes dois portos imensos da cultura lusófona. Não somente deles dois, claro. Porém não vejo melhor companhia para iniciarmos esta travessia.

Outro dia, na cidade do Porto, um senhor português bastante sábio – inclusive responsável pela tradução do Tao te king em Portugal, me disse após o concerto que dei: “Durante muito tempo quis viver no Brasil. Fui lá, durante a ditadura e vivi. Percebi então que nunca quis viver no Brasil, mas sim, viver eternamente na música brasileira”.

A história desse senhor é um sintoma do efeito da miragem Brasil há tempos já diagnosticado por Eduardo Lourenço, que não só entendeu este falso Brazilian dream mas também a falsa contrapartida vinda do outro lado do oceano: “se o Brasil é sonho para portugueses ou os portugueses se entretêm a sonhá-lo, Portugal nem é o sonho do Brasil nem os brasileiros perdem tempo em nos sonhar”.

De modo geral, se estamos falando estritamente da troca cultural entre os dois países, esta é uma frustrante verdade. Há, porém, alguns brasileiros que sonham e até vivenciam este Portugal, o autor deste texto, exemplo. Creio que por conta disso Tomás e Jacinto me convidaram para escrevê-lo.

Alguns anos atrás, estava eu de boleia noturna pelas ruas invernais e vazias de Lisboa no carro da poeta Matilde Campilho. Pusemos no CD player o Pop é o contrário de pop. Ao fim da primeira faixa ela disse-me: “Isto aqui tem frescor brasileiro tão bom de se ouvir, não é?” Sim. A partir dali, reescutando o Pop em outros momentos da vida, percebi que Os Quais possuem, dentro da música lusófona na qual transitamos, uma balança muito rara: a meditação necessária para compor uma canção e a alegria justa para cantá-la. Qualidade que sempre esperei, durante muito tempo em vão, em artistas portugueses ou brasileiros (que a priori entendem o respectivo outro lado, mas não chegam as vias de fato).

Porque velejadores, como disse, Tomás e Jacinto nunca se entretiveram a sonhar com o Brasil, nem se aterrorizavam pela saudade descolorida portuguesa: Eles se entretêm a de fato viver o Brasil que tanto conhecem e amam como amam, de um jeito naturalmente diverso e igualmente genuíno, Portugal.

A primeira vez que escutei o Geral foi durante um outono lisboeta que se recusava a ser outono, permaneceu durante muito tempo a gostar de ser um verão estendido. Como os verões cariocas, que naturalmente duram 10 meses. Penso que as canções do Geral são justamente este chamamento de verão em pleno outono que deveria ser quase inverno. (É provável que as canções estivessem atuando sobre o clima, a impedir o calor de esfriar, desafiando as quatro estações, como qualquer boa canção brasileira é capaz). Geral portanto é inesperado, poderoso e bom, mesmo para os portugueses que aguardam ansiosamente o frio para poderem reclamar da vida mais desbragadamente.

Em Geral há só um outro instrumentista português a figurar na ficha técnica, além da dupla: o baterista Fred Ferreira em “Outra deixa”. De resto são todos brasileiros: Pedro Sá, Domenico Lancelotti, Gabriel Mayall, Laura Lavieri, Lucas Vasconcellos, Gustavo Benjão, Marcelo Callado e Joana Queiroz. O disco foi produzido e majoritariamente gravado no Brasil pelo também velejador destes dois portos atlânticos, Ricardo Dias Gomes, cuja trajetória musical – seja em carreira solo, seja parte de bandas como Do Amor ou Zumbi do Mato, seja como companheiro de uma década de Caetano Veloso, enquanto integrante da Banda Cê – mereceria um texto em separado.

“Aquela”, e sua evocada “tarde de verão”, “Amanhã etc.”, equiparando Guarujá e Santo Antão, “Lisboa boa” a pedir do ouvinte português um “simples sorriso” e, mais literalmente, já quase ao final, a deliciosa “Marcha do Bicentenário” a contar-nos que

“há duzentos anos chegou o rei ao Brasil
para que hoje nossos enganos se fizessem em beijos mil
boca a boca mesma língua,
corpo a corpo outro sotaque
contra a dor e a triste sina
vem jogar sempre ao ataque”

todas as canções de Jacinto e Tomás fazem de Geral este desvio quente, um desvio que gostávamos todos que se transformasse em norma e que nos dá uma saudade – desta vez colorida – quando acaba, tal como as boas revoluções ou as festas da nossa infância. A sorte é que podemos apertar o play novamente, sempre que for necessário.

Mariano Marovatto

credits

released March 21, 2019

Produzido por Ricardo Dias Gomes
Mixado e masterizado por Bill Bowen, Brooklyn, NY.
Gravado por Ricardo Dias Gomes (Estúdio Do Amor, Rio de Janeiro)
Gravações adicionais: Tomás Cunha Ferreira (Lisboa), Diogo Rodrigues (Estúdio Cuca Monga, Lisboa), Ricardo Riquier (Estúdio iá, Lisboa)

license

all rights reserved

tags

about

Os Quais Lisbon, Portugal

contact / help

Contact Os Quais

Streaming and
Download help

Redeem code

Track Name: Lisboa Boa
sol
solto no simples sorriso do teu
subir a rua descendo do céu
roendo a fruta cor do meio-dia
má má maria

sim
sonhei fazer um samba assim mais
concreto pra levares se te vais
mas saiu antes esta melodia
má má maria

canta canta canta-a no caminho
a ver se ela tão devagarinho
vira o tempo e traz-te ao

sol
solto na sempre surpresa do teu
dobrar a esquina alegria ao léu
lendo um livro da cor de lisboa
maria boa
Track Name: Lampedusa
Camisas floridas
Sol palmeiras entaipadas
Turistas de luto em Lampedusa

Flores trevas roxas
Mágoas afogadas
Uma morte assim já não se usa

Barco dividido
Mar Mediterrâneo
Aos mortos damos cidadania

Pés nus sobre as águas
Coração no crânio
Vida única interrompida

Ao largo da ilha
Uma coisa brilha
Emigrar para outro planeta

Bandeira de fogo
Viver à queima-roupa
A Europa ao vivo em Lampedusa
Track Name: Anticonstitucionalissimamente
Mundo no prato um fruto doente
E ele um cão sem dono

A verdade é dura inteligente
E ele um triste mono

Vida sonha assim de repente
E ele bate um sono

Anticonsticionstitucionalissimamente
Sentado no trono
Track Name: Aquela
Tarde de verão
e é cedo
neste lugar da lua
Tarde demais
pra o medo
e a tua
voz evoca
tanto, tanta, tal
que logo se faz real o
nome do amor é

Tarde na terra
desejo
é uma luz no mar
Tarde tão negra
rochedo
cantar
faz-nos abrir
o mundo, muito, tão
que logo se faz canção o
nome do amor é

Aquela Aquela Aquela
Track Name: Defeitos Perfeitos
Do avesso
Pra começar do começo
Quanta luz
Pra fabricar um escuro
Que mentira
É que me traz aqui nua
.......

Do avesso
Pra ser o certo do verso
Tua voz
De fingir amor mais puro
Que me tira
A cabeça da lua

Coisa assim
Gestos simples tão inteiros
Só pra mim
Silhueta no inverno
Não, sim, nim
Quero o outro lado do espelho

Esses defeitos perfeitos
Amo defeitos perfeitos
Quero defeitos perfeitos

Do avesso
O amor tem um preço
Deste lado
O segredo é mais claro
Ofereço
Sombra e sombra sem fim
..............

Do avesso
Já não há um regresso
Vejo lá
Os meus pés amanhã
No começo
Do caminho pra cá
Track Name: Relâmpago
o re-
se lâm-
quem pa-
vem -go
dói de
cer- ser
tão te-
za se no dia mais

igual vens
de no-
me mi-
ni- re-
-saia
-lance
ser res-
inde -plandecente tão

quais
Track Name: Just Say Não
It’s oh so easy my love
so beautifully old world
the tilda’s over the A
so you nose it away, say
Just say não

Well, it's so right my friend
that I’m sure you understand
if the State asks you to pay
but it’s, let’s say, Saturday
Just say não

Nobel-prize winner Paul
Krugman is no king of soul
and still he swings it saying
in his best Portuguesing
Just say não
Track Name: Outra Deixa
No nevoeiro no alto a agulha
Negro sozinho o arranha-céus
No branco espesso fura a antena
Fantasma do que nunca aconteceu

Lembro o teu corpo
Toco o teu nome
Só a ideia da tua voz
Dá-me uma fome

Da tua boca, meu Deus
Na minha boca, arranha-céus
Céu da boca
Junto ao mar
Cinema velho
Outra deixa

Na tua voz
Poços de luz
No nevoeiro
Track Name: Marcha do Bicentenário da Chegada da Família Real ao Brasil
Minha amiga, meu amor
vem daí, vamos prà rua
cara alegre por favor
pés bem assentes na lua

Se precisas de um pretexto
dou-te um bicentenário
não pra dar a volta ao texto
nem pra cumprir calendário

É que há duzentos anos
chegou o rei ao Brasil
pra que hoje nossos enganos
se fizessem beijos mil

Boca a boca, a mesma língua
corpo a corpo, outro sotaque
contra a dor e a triste sina
vem jogar sempre ao ataque


refrão:
Alô, alô, Santo António
vimos descobrir Lisboa
ensaiar um terramoto
que seja uma coisa boa

Dar levezas à calçada
carnavalizar os Santos
saudade hoje não é nada
e os desejos mais que tantos


Vamos acender Lisboa
com nosso amor imperfeito
madrugar na Madragoa
ter Alfama e o proveito

Sim, foi há duzentos anos
mas a marcha é bem moderna
sim, somos republicanos
mas sabemos dar à perna

É, isto é belo álibi
prò nosso amor que descamba
pra eu me juntar a ti
juntando à marcha o samba

Meu amor, minha amiga
vem daí, vamos marchar
uma canção que consiga
ensinar reis a dançar

refrão
Track Name: Amanhã Etc.
Amanhã
vai chover
quem virá
fará sol

será já
manhecer
ser igual
à manhã

amanhã
noite vem
quem serás
vens de luz

cá ou lá
mal ou bem
céus azuis
coisas más

amanhã
em Paris
Guarujá
Santo Antão

vida chã
ser feliz
ou então
muito já

amanhã
velho eu
ooh la la
nova és tu

cosa fai
noiteceu
I love you
amanhã

Os Quais recommends:

If you like Geral, you may also like: